Resposta da cultura da alface em função de diferentes saturações por bases

Autores

  • Marcela Martins Aragão Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso- Campus Confresa https://orcid.org/0000-0002-5859-5479
  • Gustavo Rodrigues Costa de Oliveira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso- Campus Confresa
  • Josiane Lopes Neves Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso- Campus Confresa
  • Danilo Nogueira dos Anjos Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso- Campus Confresa

DOI:

10.33912/pagro.v3i1.661

Palavras-chave:

Lactuca sativa, saturação por bases, cálcio, calagem.

Resumo

Resumo: O trabalho teve como objetivo avaliar a resposta da cultura da alface em função de diferentes saturações por bases. O experimento foi conduzido em vaso, na casa de sombra no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia IFMT-Campus Confresa. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado com cinco doses de calcário de PRNT 150% (0; 1,12;  2,75; 4,38 e 6,01 gramas por vaso), visando atingir as seguintes saturações por bases: 30, 50, 70 e 90% e a testemunha com 16% já encontrado no solo, com quatro repetições. Aos 30 dias após o transplantio realizou-se as avaliações de altura de parte aérea, fitomassa fresca de parte aérea, índice SPAD, comprimento de raiz e fitomassa fresca de raiz. Não houve influência nas variáveis de índice SPAD, comprimento de raiz e fitomassa fresca de raiz em uma variação do V% de 16 a 90%. As variáveis que apresentaram diferenças significativas foram altura de parte aérea e fitomassa fresca, critérios mais importantes para a comercialização da hortaliça, tendo melhores resultados em 62,41 e 80% respectivamente.    

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcela Martins Aragão, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso- Campus Confresa

Graduanda em Bacharelado em Agronomia pelo IFMT-Campus Confresa

Gustavo Rodrigues Costa de Oliveira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso- Campus Confresa

Graduando em Bacharelado em Agronomia pelo IFMT-Campus Confresa

Josiane Lopes Neves, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso- Campus Confresa

Graduanda em Bacharelado em Agronomia pelo IFMT-Campus Confresa

Danilo Nogueira dos Anjos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso- Campus Confresa

Professor no IFMT-Campus Confresa

Referências

Referências

BACKES, C., et al. Resposta de duas cultivares de alface a diferentes doses de calcário. Scientia Agraria Paranaensis, 04-13. 2008. Disponível em: . Acessado em: 09 abr. 2020.

Ferreira, Daniel Furtado. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia (UFLA), v. 35, n.6, p. 1039-1042, 2011. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1413-70542011000600001>. Acessado em: 10 de ago. 2020.

HENZ, Gilmar Paulo; SUINAGA, Fábio. Tipos de Alface Cultivados no Brasil (Comunicado Técnico nº 75). Brasília, 2009. Disponível em: < https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/783588/1/cot75.pdf>. Acessado em: 07 abr. 2020.

MANUAL INTERNACIONAL DE FERTILIDADE DO SOLO. Tradução e Adaptação de Alfredo Scheid Lopes. 2 ed., ver. e ampl. Piracicaba: POTAFOS, 1998.

MALAVOLTA, E. Elementos de nutrição de plantas. São Paulo: Agronômica Ceres, 1980. 251 p.

MICROSOFT EXCEL. Versão 2003 (Build 12624.20382).[S.l.]: Microsoft Corporation, 2013.

PRADO, Renato M.; DE OLIVEIRA GONDIM, Ancélio Ricardo; DE SOUZA JÚNIOR, Jonas Pereira. Resposta da cultura da melancia à aplicação de calcário. Response of watermelon culture to the application of limestone. Revista Acadêmica Ciência Animal, v. 11, p. 75-82, 2013. Disponível em: < https://periodicos.pucpr.br/index.php/cienciaanimal/article/view/11270>. Acessado em: 09 abr. 2020.

RESENDE, Geraldo Milanez de; YURI, Jony Eishi; COSTA, Nivaldo Duarte. Instruções Técnicas da Embrapa Semiárido: Cultivo de alface-crespa no Submédio do Vale do São Francisco. Petrolina, 2018. Disponível em: < file:///C:/Users/win8/Downloads/INT134.pdf>. Acessado em: 10 abr. 2020.

RONQUIM, Carlos Cesar. Conceitos de fertilidade do solo e manejo adequado para as regiões tropicais. Campinas: Embrapa Monitoramento por Satélite, 2010. Disponível em: < https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/31004/1/BPD-8.pdf>. Acessado em: 10 abr. 2020.

SANTIAGO, Antonio Dias; ROSSETTO, Raffaella. Calagem. Disponível em: < https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/cana-de acucar/arvore/CONTAG01_34_711200516717.html>. Acessado em: 07 abr. 2020.

TANAMATI, Fábio Yomei. Fontes e doses de corretivos de acidez do solo na nutrição e produção de alface. 2012. 60 f. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual Paulista “Júlio De Mesquita Filho” Faculdade De Ciências Agronômicas Campus De Botucatu. Disponível em: < https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/93519/tanamati_fy_me_botfca.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acessado em: 09 abr. 2020.

TRANI, Paulo Espíndola et al. Calagem e adubação da alface, almeirão, agrião d’água, chicória, coentro, espinafre e rúcula. Campinas – SP, 2014. Disponível em: < http://www.iac.sp.gov.br/imagem_informacoestecnologicas/97.pdf>. Acessado em: 09 abr. 2020.

TRANI, Paulo Espíndola et al. Alface (Lactuca sativa L.). In: AGUIAR, Adriano Tosoni de Eira et al. Instruções agrícolas para as principais culturas econômicas/ Eds. et al. Campinas: Instituto Agronômico, 2014. 8-10 p. (Boletim IAC, n.º 200). Disponível em: < https://www.votorantimcimentos.com.br/insumos-agricolas/wp-content/uploads/sites/3/2019/04/insumos-agricolas-boletim-200-iac.pdf>. Acessado em: 06 abr. 2020.

ZEBALOS, Carlos Henrique dos Santos et al. Calagem e adubação na cultura do meloeiro. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, v. 8, n. 2, p. 91-102, 2017. Disponível em: < http://www.faema.edu.br/revistas/index.php/Revista-FAEMA/article/view/587/459>. Acessado em: 08 abr. 2020.

Publicado

2020-08-04

Como Citar

ARAGÃO, M. M.; COSTA DE OLIVEIRA, G. R.; NEVES, J. L.; DOS ANJOS, D. N. Resposta da cultura da alface em função de diferentes saturações por bases. PesquisAgro, v. 3, n. 1, p. 94 - 101, 4 ago. 2020.