Componentes de produção de cultivares de algodão (Gossypium hirsutum) no município de Confresa - Mato Grosso

Autores

  • Matheus Vilela matheusagrovilela@gmail.com
    IFMT - Confresa
  • Danilo Anjos danilo.anjos@cfs.ifmt.edu.br
  • Yuri Castro yuri.castro@cfs.ifmt.edu.br
  • Luciana Martins luciana@xinguconsultoria.com.br

DOI:

10.33912/pagro.v3i2.927

Resumo

A cultura do algodão se apresenta como uma alternativa rentável para os produtores, entretanto é de difícil manejo, possuindo diversas problemáticas que interferem durante o ciclo da cultura. O uso de algumas estratégias como a escolha da cultivar mais adaptada para a região, poderá diminuir a probabilidade de perdas e erros ao final do ciclo da cultura. Este trabalho teve como objetivo avaliar adaptabilidade e produtividade de dez cultivares de algodão no município de Confresa - MT. O experimento foi conduzido a campo aberto, utilizando o delineamento inteiramente casualizados, na qual observou-se as seguintes variáveis: produtividade, estande, altura, número de capulhos, número de aborto por planta e números de nó. Os resultados foram submetidos pelo software estatístico SISVAR e comparadas pelo teste de Scott-Knott (p < 0,5). A cultivar que se destacou em termos de produção de pluma foi a IMA 5801 B2RF.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANSELMO J. L.; HOLANDA H. V.; ALVES L. A.; LOURENÇO P. H. F. N.; LEONEL T. Z., MAGALHÃES H. J. S.; RICIERI A. D. Comportamento de cultivares de algodão em função da época de semeadura no sistema adensado, na região dos chapadões. 8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP – 2011

AQUINO L. A.; AQUINO, R. F. B. A.; SILVA, T. C.; SANTOS, D. F.; BERGER, P. G. Aplicação do fósforo e da irrigação na absorção e exportação de nutrientes pelo algodoeiro. Engenharia Agrícola Ambiental, Campina Grande, v. 16, n. 4, p. 355-361, 2012.

BELTRÃO, N. E. Clima regula produção e qualidade da fibra do algodoeiro. Visão agrícola, n. 6, 2006. Disponível em: <https://www.esalq.usp.br/visaoagricola/sites/default/files/va06-manejo01.pdf>. Acessado em: 05 ago. 2020

BELTRÃO, N. E. de M. et al. Zoneamento agroclimático do algodoeiro no cerrado brasileiro. In: FREIRE, E. C. Algodão no cerrado do Brasil. Aparecida de Goiânia: ABRAPA. 2011. p.239-256.

BOGIANI, J.C.; ROSOLEM, C.A. Sensibilidade de cultivares de algodoeiro ao cloreto de mepiquat. Pesquisa Agropecuária Tropical, v.44, n.10, pp. 1246-1253. 2009. Disponível em: <http://seer.sct.embrapa.br/index.php/pab/article/view/2078.> Acesso em: 07 jul 2020.

BRANDÃO, Z. N.; SOFIATTI, V.; FERREIRA, G. B.; LIMA, R. L. S.; BELTRÃO, N. D.M.; SILVA, B. D. Predição da adubação nitrogenada através da utilização do índice SPAD para o algodoeiro no semi-árido. Engenharia Ambiental, v. 6, n. 3, p. 368 - 382, 2009.

CONAB. Companhia Nacional de Abastecimento. Cronograma de divulgação de safras. Disponivel em: <:https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/graos/boletim-da-safra-de-graos> Acesso em 02/08/2020

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Algodão: o produtor pergunta, a Embrapa responde. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2004. 265p. (Coleção 500 perguntas, 500 respostas). ISBN 85-7383-278-9.

FERREIRA, A. C. B. et al. Épocas de semeadura, cultivares e densidade de plantas para algodão adensado em segunda safra. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 45, n. 4, p. 397-405, 2015.

FERREIRA, D. F. Análises estatísticas por meio do SISVAR para Windows versão 4.0. In: 45ª. Reunião Anual da Região Brasileira da Sociedade Internacional de Biometria. 2000. São Carlos. Anais... São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, 2000. Disponível em: <http://www.ppgest.ufscar.br/documentos/rt/rt27.pdf.>Acesso em: 16 fev. 2020.

HOOGERHEIDE, E. S. S.; FARIAS, F. J. C.; VENCOVSKY, R.; FREIRE, E. C. Estabilidade fenotípica de genótipos de algodoeiro no Estado do Mato Grosso. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.42, n.5, p.695-698, maio 2007.

IMAMT. Instituto Mato-grossense do Algodão. Boletim de Pesquisas e Doenças. O algodão geneticamente modificado para resistência a pragas: Eficiência e medidas para o manejo da resistência. n. 4. Cuiabá (MT). Março de 2019. p. 288. ISBN: 978-85-66457-15-5. Disponível em: <https://imamt.org.br/wp-content/uploads/2019/05/boletim-pesquisa-resistencia-2019-web.pdf.> Acesso em: 21 fev. 2020.

IMAMT. Instituto Mato-grossense do Algodão. CIRCULAR TÉCNICA. Reação de cultivares de algodoeiro a doenças e nematoides, safra 2018/19. nº. 43. agosto de 2019. Disponível em: <https://imamt.org.br/wp-content/uploads/2019/09/circular-tecnica-edicao43-bxok.pdf.> Acesso em: 22 fev. 2020.

KANEKO, F. H.; LEAL, A. J. F.; DIAS, A. R.; ANSELMO, J. L.; BUZETTI, S.; DAL BEM, E. A.; GITTI, D. C.; NASCIMENTO, V. Resposta do algodoeiro em cultivo adensado a doses de nitrogênio, fósforo e potássio. Agrarian, v. 7, n. 25, p. 382-389, jul. 2014. Disponível em:<http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/agrarian/article/view/2618>. Acesso em: 31 de jul. 2020.

LACERDA, A. L. S. Efeito de população de plantas nas características agronômicas na cultura do algodão. 2006. Disponível em: <http://www.infobibos.com/Artigos/2006_3/algodao/index.htm>. Acesso em: 15 jul. 2020.

LAUXEN, L. R.; VILLELA, F. A.; SOARES, R. C. Desempenho de sementes tratadas com tiametoxan. Revista Brasileira de Sementes, v. 32, n. 3 p. 061-068, 2010.

MARTIN, J. Avanços da pesquisa sobre algodão ultra-adensado. In: Algodão - Pesquisas e resultados para o campo. Facual Cuiabá, 2006. p. 94-119.

MORELLO, C. L.; PEDROSA, M. B.; SUASSUNA, N. D.; FARIAS, F. J. C.; SILVA FILHO, J. L.; PERINA, F. J.; FREIRE, E. C.; ALENCAR, A. R.; TAVARES, J. A.; OLIVEIRA, W. P. Desempenho de Cultivares de Algodoeiro no Cerrado do Estado da Bahia, Safra 2013/2014. EMBRAPA algodão. Campina Grande. 2015.

OLIVEIRA, F. A.; MEDEIROS, J. F.; OLIVEIRA, F. R. A.; FREIRE, A. G.; SOARES, L. C. S. Produção do algodoeiro em função da salinidade e tratamento de sementes com regulador de crescimento. Ciência Agronômica, Fortaleza, v.43, n.2, p.279-287, 2012.

PAIVA, T. S. Há divergência genética entre genótipos de algodoeiro transgênico e convencionais? 2019, 21 f, Trabalho de Conclusão de curso (Graduação em Agronomia) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia – MG, 2019.

PESKE, S. T.; VILLELA, F. A.; MENEGHELO, G. Produção de sementes. Fundamentos Científicos e Tecnológicos. 3°ed. ver. eampl. Pelotas: Ed. Universitária/UFPel, 2012, 564p.

RODRIGUES, D. R. SILVA; G. R. A. BALTAZAR; G. O. C. CORDEIRO; C. F. dos S. ECHER, F. R. Produtividade e qualidade da fibra de cultivares de algodão no oeste de São Paulo. In: Encontro Nacional de Ensino, Pesquisa e Extensão – ENEPE, 2019. Anais... Presidente Prudente- SP. ISSN: 1677-6321. p. 1771.

SILVA FILHO, J. L. et al. Avaliação de cultivares de algodoeiro no Cerrado da Bahia, safra 2015/2016. Campina Grande: Embrapa Algodão, 2017. 14p. (Documentos, 269).

SILVA, A. V. et al. Crescimento e desenvolvimento do algodoeiro em diferentes configurações de semeadura. Bragantia, Campinas, v. 65, n. 3, p. 407-411, 2006. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/brag/v65n3/a06v65n3.pdf.> Acesso em: 07 jul 2020.

SILVA, R. P.; FERREIRA, I. C.; CASSIA, M. T. Perdas na colheita mecanizada de algodão. Scientia Agropecuaria, v. 2, n. 1, p. 7-12, 2011.

TMG. Tropical Melhoramento e Genética. Cultivares de algodão 2014/2015. Disponível em: <http://www.tmg.agr.br/files/pdf/TMG-Cultivares_de_Algodao_2014-2015.pdf>. Acesso em: 30 nov. 2020.

TMG. Tropical Melhoramento e Genética. Cultivares de Algodão. Disponível em: <http://www.tmg.agr.br/ptbr/cultivares/algodao>. Acesso em: 30 nov. 2020.

VILELA, P.M.C.A; BELOT, J. L. Variedade comerciais e pré-comerciais de algodão para o Mato Grosso. Circular técnica IMAmt, nº22, 2015.

Publicado

2021-01-12
Métricas
  • Visualizações 115
  • PDF downloads: 110

Como Citar

VILELA, M.; ANJOS, D.; CASTRO, Y.; MARTINS, L. . Componentes de produção de cultivares de algodão (Gossypium hirsutum) no município de Confresa - Mato Grosso. PesquisAgro, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 42 - 55, 2021. DOI: 10.33912/pagro.v3i2.927. Disponível em: http://periodicos.cfs.ifmt.edu.br/periodicos/index.php/agro/article/view/927. Acesso em: 20 abr. 2021.