TRANSEXUALIDADE E EDUCAÇÃO:

DESAFIOS ALÉM DO CURRÍCULO

Autores

  • Vanessa Andriani Maria vanessamariaadvs@gmail.com
    OAB Subseção Santa Maria - RS

DOI:

10.47270/RA.2596-2671.2021.v3.n6.id1099

Palavras-chave:

Educação, Inclusão, Pessoas transgênero

Resumo

A questão das pessoas transgênero foi introduzida em nossos tribunais, entretantoexistem escassas obras científicas que retratam a escola, alicerce essencial da vida da criançaem sociedade, visando uma abordagem mais inclusiva no combate às desigualdades. O presentetrabalho trata da temática das crianças e adolescentes transgênero com base no princípio dadignidade humana, considerando a relevância da vontade dos infantes e o seu direito à inclusão.É reconhecendo a importância do contexto escolar no processo de desenvolvimento destesjovens e suas perspectivas de vida, que este artigo vem abordar a educação inclusiva nas escolasexplorando também a influência exercida pela cultura heteronormativa como o padrão denormalidade no processo de exclusão praticada contra as pessoas transgênero. Neste trabalhofoi utilizado o método de pesquisa dedutivo e o tipo de pesquisa bibliográfica documental.Importante destacar a realização de estudos sobre a presença de sexualidades não normativasno âmbito escolar, como instrumento para refletir sobre a educação como articuladora dadiferença, afastando a identidade sexual hegemônica que se vislumbra estável e apropriada.Concluindo-se temos que a transfobia é um fenômeno que habita o contexto escolar, exigindomedidas pontuais para que esse processo de segregação humana seja amenizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BENTO, Berenice. Na escola de aprende que a diferença faz diferença. Revista Estudos Feministas, Florianópolis. mai./ago., p. 549-559, 2011.Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ref/v19n2/v19n2a16.pdf>. Acesso em 29 de jan. 2021.

BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: pluralidade cultural e orientação sexual. Brasília: MECSEF, 1997. v. 10. 110 p.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil: formação pessoal e social. Brasília: MECSEF, 1998. v. 02. 85 p.

BRASIL, Ministério da Educação, Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio. Brasília: Ministério da Educação, 1999.

CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988. Resolução 12 de janeiro de 2015. Acesso em 10 de julho de 2016, pelo site < http:// https://www.gov.br/mdh/pt-br/acesso-a-informacao/participacao-social/old/cncd-lgbt/resolucoes/resolucao-012/view>. Acesso em 17 de fev de 2021.

COSTA, Vera Lúcia do Vale. Violência escolar e homofobia: reflexões a respeito da diversidade. Disponível em: <http://www.redentor.inf.br/arquivos/pos/publicacoes/25022013Vera%20Lucia%20Costa%20-%20TCC.pdf>. Acesso em: 17 ago. 2020.

DIAS, Maria Berenice. Homoafetividade e os direitos LGBTI. 6 ed. Reformulada. São Paulo: Revista dos tribunais, 2014, 526 p.

FAGUNDES, Tereza Cristina Pereira Carvalho. Pais conscientes, educadores capacitados: educação sexual para crianças e adolescentes. Revista Brasileira de Sexualidade Humana. São Paulo, v.20, n.1, p.164-175, 2009.

FELIPE, Jane; BELLO, Alexandre Toaldo. Construção de comportamentos homofóbicos no cotidiano da educação infantil. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org.). Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. Aula Inaugural no Collège de. France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 4 ed., São Paulo: Edições Loyola,1998.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org.). Homofobia nas escolas: um problema de todos. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org.). Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009a.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org.). Educação e Homofobia: o reconhecimento da diversidade sexual para além do multiculturalismo liberal. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org.). Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009b.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho - ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

LOURO, Guacira Lopes; NECKEL, Jane Felipe; GOELLNER, Silvana Vilodre. Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. 4. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003. 191p.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, Sexualidade, e Educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Rio de Janeiro, Ed. Vozes. 2010. 180 p.

MARIA, Vanessa Andriani, RABENSCHLAG, Cristiano Dotto. Mosaico Acerca do Cotidiano de Professores LGBTs no Âmbito Escolar. Conteúdo Jurídico, Brasília-DF: 16 jul 2020. Disponível em: https://conteudojuridico.com.br/consulta/Artigos/54899/mosaico-acerca-do-cotidiano-de-professores-lgbt-s-no-mbito-escolar. Acesso em: 18 fev. 2021a.

MARIA, Vanessa Andriani. Realidade e os Desafios para a Inserção de Transgêneros, Transexuais e Travestis no Mercado de Trabalho. Âmbito jurídico, São Paulo – SP: n. 199, Ano XXIII, 2020b. Disponível em: https://ambitojuridico.com.br/cadernos/direitos-humanos/a-realidade-e-os-desafios-para-a-insercao-de-transgeneros-transexuais-e-travestis-no-mercado-de-trabalho/ Acesso em 18 fev. 2021b.

MARTINELLI, Maria Lúcia. Reflexões sobre o Serviço Social e projeto ético-político profissional. Revista Emancipação, Paraná, ano 6, n. 1. 2006.

MORENO, Montserrat. Como se ensina a ser menina: o sexismo na escola. São Paulo: Moderna; Campinas: Ed. da Unicamp, 1999.

PARANÁ, Secretaria de Estado da Educação – SEED. Diretrizes Curriculares da Rede Pública de Educação Básica do Estado do Paraná (DCE): Ciências, Curitiba,2008.

SCOTE, Fausto Delphino. Será que temos os mesmos direitos à universidade? O desafio do acesso e a permanência de pessoas transexuais no ensino superior. 2017. 152f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos Campus Sorocaba, Sorocaba.

SKLIAR, Carlos. Pedagogia (improvável) da diferença: e se o outro não estivesse aí? Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

VASCONCELOS, F.R.S. Evasão Escolar de Alunas Travestis e Transexuais. III Seminário Internacional Corpo, Gênero e Sexualidade. Universidade Federal de Rio Grande – FURG. 19 a 21 de setembro de 2018.

Publicado

2021-06-30
Métricas
  • Visualizações 156
  • PDF downloads: 74

Como Citar

ANDRIANI MARIA, V. TRANSEXUALIDADE E EDUCAÇÃO:: DESAFIOS ALÉM DO CURRÍCULO. Revista AlembrA, [S. l.], v. 3, n. 6, p. 117-130, 2021. DOI: 10.47270/RA.2596-2671.2021.v3.n6.id1099. Disponível em: http://periodicos.cfs.ifmt.edu.br/periodicos/index.php/alembra/article/view/1099. Acesso em: 21 out. 2021.