REFLEXÕES ACERCA DA AÇÃO DOCENTE PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA EM UMA AULA DE PONTUAÇÃO
PDF
.

Métricas

  • Visualizações 101
  • PDF downloads: 47

Palavras-chave

Theory
Practice
Teaching action
Didactic transposition. Teoría.
Práctica.
Acción docente.
Transposición didáctica. Teoria.
Prática
Ação docente
Transposição didática

Como Citar

BALIEIRO, L. T.; LUCA, C. M. . O.; RITTER, L. C. B. . REFLEXÕES ACERCA DA AÇÃO DOCENTE PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA EM UMA AULA DE PONTUAÇÃO. Revista Prática Docente, [S. l.], v. 6, n. 3, p. e078, 2021. DOI: 10.23926/RPD.2021.v6.n3.e078.id1187. Disponível em: http://periodicos.cfs.ifmt.edu.br/periodicos/index.php/rpd/article/view/1187. Acesso em: 21 out. 2021.

Resumo

Neste artigo, partimos da problemática de o docente não suscitar reflexões quanto à maneira como ocorre o processo de transposição didática de um determinado conteúdo. Nosso objetivo central é discutir a prática docente nesse processo, focando-se no conteúdo de pontuação. Com respaldo nos pressupostos teóricos de Verret (1975) e Bakhtin (1992), metodologicamente, selecionamos uma aula ministrada a uma turma do 6º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública situada no noroeste do Paraná, para analisar, de modo específico, as adequações efetuadas no planejamento, além de compreender as características da transposição didática. Os resultados evidenciam a necessidade de fazer adaptações da teoria à prática, a considerar o contexto da turma, bem como o nível cognitivo dos estudantes. Concluímos que o saber científico requer ser moldado em um saber escolarizado por meio de estratégias que contribuam para o entendimento do conteúdo de forma mais eficaz e contextualizada.
10.23926/RPD.2021.v6.n3.e078.id1187
PDF

Referências

ALMOULOUD, Saddo Ag. As transformações do saber científico ao saber ensinado. Educar em Revista, Curitiba, v. 1, número especial, p. 191-210, 2011.

ARAUJO, Paula Francineti Ribeiro de. Ensino de Língua Portuguesa: a transposição didática em questão. Eutomia, Recife, v. 14, n. 1, p. 240-262, 2014.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1992.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base. Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Brasília, DF: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 30 abr. 2021.

CHATEL, Elisabeth. Marchés et prix: savoirs enseignés et façons d’enseigner en Sciences Économiques et Sociales. Paris: INRP, 1995.

CHEVALLARD, Yves; JOHSUA, Marie-Alberte. La transposition didactique. Grenoble: La Pensée Sauvage-Éditions, 1991.

CHEVALLARD, Yves. La transposición didáctica: del saber sábio al saber enseñado. Buenos Aires: Aique Grupo Editor, 2005.

GERALDI, João Wanderley. Portos de passagem. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

HALTÉ, Jean-François. O espaço didático e a transposição. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 5, n. 2, p. 117-139, 2008.

MAZZEU, Francisco José Carvalho. Uma proposta metodológica para a formação continuada de professores na perspectiva histórico-social. Cadernos CEDES, Campinas, v. 19, n. 44, p. 59-72, 1998.

MELLO, Guiomar Namo de. Transposição Didática, Interdisciplinaridade e Contextualização. 2012. Disponível em: https://docplayer.com.br/12476931-Transposicao-didatica-interdisciplinaridade-e-contextualizacao-guiomar-namo-de-mello.html. Acesso em: 30 abr. 2021.

NÓVOA, Antonio. Diz-me como ensinas, dir-te-ei quem és. In: FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. (org.). A pesquisa em educação e as transformações do conhecimento. 12. ed. Campinas: Papirus, 2012. p. 29-41.

PERES, Aparecida Fatima; GRECO, Eliana Alves. Transposição didática no processo de formação inicial de professores de Língua Portuguesa: o lugar dos saberes disciplinares. Entretextos, Londrina, v. 14, n. 1, p. 172-189, 2014.

RITTER, Lilian Cristina Buzato. Práticas de leitura/análise linguística com crônicas no ensino médio: proposta de elaboração didática. 2012. 242 f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2012.

SHULMAN, Lee S. Knowledge and teaching: foundations of the New Reform. Harvard Educational Review, [S. I.], v. 57, n. 1, p. 1-22, 1987.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e Interação: uma proposta para o ensino de gramática no 1º e 2º graus. São Paulo: Cortez, 1997.

VERRET, Michel. Le temps des études. Paris: Honoré Champion, 1975.

Creative Commons License

Este trabalho está licensiado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 A Revista Prática Docente tem o direito de primeira publicação

Downloads

Não há dados estatísticos.