GEOMETRIA NA FORMAÇÃO DAS NORMALISTAS DO INSTITUTO SANTA MARTA NO MUNICÍPIO DE BARRA DO GARÇAS (1960 - 1980)
PDF

Palavras-chave

Ensino de geometria
Cultura escolar
Formação de professores
Escola primária Geometry teaching
History of mathematical education
Teacher training
Primary school

Como Citar

GAMA, M. M.; ALMEIDA, L. I. M. V. DE; PINTO, N. B. GEOMETRIA NA FORMAÇÃO DAS NORMALISTAS DO INSTITUTO SANTA MARTA NO MUNICÍPIO DE BARRA DO GARÇAS (1960 - 1980). Revista Prática Docente, v. 5, n. 2, p. 626-651, 31 ago. 2020.

Resumo

Este artigo é parte da Pesquisa de Mestrado do Programa de Pós-Graduação da Universidade de Cuiabá e tem como objeto de estudo o ensino de geometria na formação de professoras normaliatas do ensino primário em Barra do Garças/MT. Ancorada na abordagem histórico-cultural, o estudo fundamentou-se nos aportes teóricos de Chervel (1990), De Certeau (1982), Julia (2001), Pinto (2014) e Silva; Valente (2014). Teve como objetivo analisar a presença da geometria na formação das normalistas que cursaram o magistério e lecionaram no Instituto Santa Marta no período delimitado da pesquisa. As fontes foram constituídas pelos depoimentos e diários de classe com ênfase no ensino da geometria na escola primária. Os dados revelam a presença da geometria indicando como as normalistas aprendiam e ensinavam os conceitos geométricos em sala de aula, possibilitando novas indagações e reflexões frente ao descaso das escolas pela disciplina.
https://doi.org/10.23926/RPD.2526-2149.2020.v5.n2.p626-651.id691
PDF

Referências

ALMEIDA, Laura I. M. V. de. Ensino de matemática nas séries iniciais no estado de Mato Grosso (1920-1980): uma análise das transformações da cultura escolar. 2010. 230 f. Tese (Doutorado em Educação). Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2010.

ALMEIDA FILHO, Orlando José de. A estratégia da produção e circulação católica do projeto editorial das coleções de Theobaldo Miranda Santos: (1945-1971). Tese (Doutorado em Educação História Pólítica Sociedade). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2008.

BARROS, José D´Assunção. Memória e história: uma discussão conceitual. In: Tempos históricos Dossiê: História, cinema e música. Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Campus Marechal Cândido Rondon. Centro de Ciências Humanas, Educação e Letras. Colegiado do curso de História – v.15, N. 01. Ano XIII. 1º semestre. Marechal Cândido Rondon: EDUNIOESTE, 2011. (p. 369-400).

BITTAR, Mariluce. A educação superior na região sul de Mato Grosso e a influencia salesiana – décadas de 60 e 70. Campo Grande: UCDB. Relatório de pesquisa, 2001. Disponível em: https://www.ufmt.br/revista/arquivo/rev21/mariluce.html.

BITTENCOURT, Circe Fernandes. Disciplinas Escolares: história e pesquisa. In: OLIVEIRA, Marcus; RANZI, Serlei (Org.). História das Disciplinas Escolares no Brasil: contribuições para o debate. Bragança Paulista: EDUSF, 2003. P. 9-38.

BLOCH, Marc. Apologia da História ou o Ofício do Historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

BRASIL. Lei de 15 de outubro de 1827. Manda crear escolas de primeiras letras em todas as cidades, villas e logares mais populosos do Império. Disponível em: http://www2.camara.gov.br/legislacao/publicacoes/doimperio.

CASTRO, Francisco Mendes de Oliveira, E ed. A Matemática no Brasil. Campinas, S.P.- Editora da Unicamp, 1999.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Tradução Maria Manuela Galhardo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,1990.

CHERVEL, André. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, Porto Alegre, n. 2, p.177-229, 1990.

DE CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Rio de Janeiro, RJ: Forense Universitária, 1982.

EBY, Frederick. História da educação moderna: séc. XVI/séc. XX. 5 ed. Porto Alegre: Globo, 1978.

FAINGUELERNT, E.K. O Ensino de Geometria no 1º e 2º Graus. A Educação Matemática em Revista. SBEM, nº 4, p.45. Blumenau. 1º semestre, 1995.

FERNANDES Juliana Chiarini Balbino; BORGES Rosimeire Aparecida Soares. O Ensino de Primeiro Ano Primário em Tempos de Escola Ativa: a geometria nos programas brasileiros. Revista Exitus, Santarém, PA. V. 5 nº 2. Exitus. Pará, 2015, p. 194-213.

FILHO, Luciano Mendes de Faria; GONÇALVES Irlen Antônio; VIDAL Diana Gonçalves; PAULILO, André Luiz. A cultura escolar como categoria de análise e como campo de investigação na história da educação brasileira. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.30, n.1, p. 139-159, jan./abr. 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ep/v30n1/a08v30n1.pdf. Acesso dia 08 de agosto de 2020.

FIN, Maria Teresinha. Apropriação das Ideias Escolanovistas no Curso de Formação de Professores em Mato Grosso (1910-1937). Dissertação Cuiabá – MT 2012.

GARNICA, Antonio Vicente Marafioti; Souza Luzia Aparecida de. Elementos de História da Educação Matemática. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/109211/ISBN9788579832932.pdf?sequence=1&isAllowed=y Acesso em 09 de agosto de 2020.

GEERTZ, Clifford. A Interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara, 1989.

GRAMSCI, Antônio. Concepção dialética da história. 3 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,1973.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. Tradução de Gizele de Souza. Revista Brasileira de História da Educação. Campinas, n.1, jan/jun.2001, p.9-43.

JULIA, Dominique. Disciplinas escolares: objetivos, ensino e apropriação. In: LOPES, A.; MACEDO, E. (Org.) Disciplinas e integração curricular: história e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002, p. 37-72.

MARCÍLIO, Humberto. História do ensino em Mato Grosso. Cuiabá - MT, Secretaria de Educação, Saúde e Cultura, 1963.

MATO GROSSO. Mensagem Presidencial - Presidente do Estado á Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Arquivo Público de Mato Grosso, Cuiabá – MT, 1963.

MATO GROSSO. Presidência da Província. Discurso. O Presidente da Província, Ricardo José Gomes Jardim, apresenta discurso na abertura da sessão ordinária da Assembléia Legislativa Provincial. Cuiabá, 1 mar. 1845. NDIHR – Microfilme rolo 1 (R.P.P.), 1835- 1864, p. 17-19.

MATO GROSSO. Lei Provincial nº 8, de 05 de maio de 1837. Cuiabá 5 de Maio de 1837. Disponível em: https://www.al.mt.gov.br/storage/webdisco/leis/lim-8-1837.pdf Acesso em: 13/11/2019.

MENESES, Ricardo Soares de. Uma história da Geometria escolar no Brasil: de disciplina a conteúdo de ensino Dissertação de Mestrado, São Paulo: PUC, 2007. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11203 Acesso em: 08/08/2020.

MISSÃO EM NOTÍCIA. Colégios: a educação a serviço da cidadania. In: Boletim Salesiano. São Paulo: Editora Salesiana, ano 52, nº 2, março/abril de 2002.

MOCROSKY. Luciane Ferreira; MONDINI. Fabiane; ESTEPHAN. Violeta Maria. O ensino de geometria no Brasil: alguns aspectos da sua origem nos livros didáticos brasileiros. III Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia. Ponta Grossa-PR. 2012. Disponível em: http://www.sinect.com.br/anais2012/html/artigos/ensino%20mat/19.pdf. Acesso em: 08/08/2020.

MUNIZ. Angelina Maria Cartaxo. Procedimentos utilizados por estudantes do nível médio técnico em problemas de semelhança de triângulos contextualizados e não contextualizados. Dissertação (Mestrado em Educação). UFRPE, 2017.

PINTO, Neuza Bertoni. História das disciplinas escolares: reflexão sobre aspectos teórico-metodológicos de uma prática historiográfica. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 14, n. 41, p. 125-142, jan./abr. 2014.

REVEL, Jacques; CERTEAU, Michel de; JULIA, Dominique. A beleza do morto: o conceito de cultura popular. In: REVEL, Jacques. A Invenção da sociedade. Lisboa: DIFEL, 1989, p. 49-75.

SAVIANI, Demerval. História das ideias pedagógicas no Brasil. 3 ed. Campinas: Autores Associados, 2010.

SANTOS, Jamile Aparecida Saulino dos. Problemas de ensino e de aprendizagem em perímetro e área: um estudo de caso com professores de matemática e alunos de 7ª série do ensino fundamental. 117 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Metodista de Piracicaba – Piracicaba/SP, 2011.

SANTOS, Elton Castro Rodrigues dos. Escolas reunidas mato-grossenses: as prerrogativas educacionais expressa no regulamento de 1927. XVIII ENDIPE Didática e Prática de Ensino no contexto político contemporâneo: cenas da Educação Brasileira. 2016, p. 8387 a 8398. Disponível em: https://www.ufmt.br/endipe2016/downloads/233_10198_36309.pdf Acesso em 11/11/2019.

SILVA Maria Celia Leme; VALENTE, Wagner Rodrigues (orgs). A geometria nos primeiros anos escolares: História e perspectiva atuais. Campinas, SP: Papirus,2014.

SIMIÃO, Regina Aparecida Versoza. O processo de profissionalização docente em Mato Grosso (1930-1960). Cuiabá, MT. EdUFMT, 2006.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 9 ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

TARDIF, Maurice. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Elementos para uma epistemologia da pratica profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação. 10 ed. Petrópolis, RJ: vozes, 2010.

VALENTE. Wagner Rodrigues. Considerações sobre a matemática escolar numa abordagem histórica. Cadernos de História da Educação - nº. 3 - jan./dez. 2004. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/160367/363-1269-1 PB.pdf?sequence=1&isAllowed=y Acesso dia 07 de agosto de 2020.

VALENTE, Wagner Rodrigues. A matemática nos anos iniciais escolares em perspectiva histórico-comparativa. Hist. Educ. [Online] Porto Alegre v. 18 n. 44 Set./dez. 2014 p.7-8.

VIDAL, Diana Gonçalves. Escola Nova e Processo Educativo 500 anos de Educação no Brasil. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2003, p. 497-517.

VIDAL, Diana Gonçalves. No interior da sala de aula: ensaio sobre cultura e prática escolares. Currículo sem Fronteiras, v.9, n.1, 2009, p.25-41.

ZABALZA, Miguel Antoni. Diários de aula. Um instrumento de pesquisa e desenvolvimento pessoal. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Creative Commons License

Este trabalho está licensiado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 A Revista Prática Docente tem o direito de primeira publicação

Downloads

Não há dados estatísticos.