“O POÇO”
PDF

Palavras-chave

Verticalização
Desigualdade
Sistema socioeconômico
Escola Verticalization
Inequality
Socioeconomic system
School

Como Citar

CASAGRANDE, A. L. “O POÇO”: A SOCIEDADE VERTICAL COMPARTIMENTALIZADA E A ESCOLA. Revista Prática Docente, v. 5, n. 2, p. 1298-1313, 31 ago. 2020.

Resumo

Neste texto apresentamos uma interpretação acerca do filme espanhol “El hoyo”, em Língua Portuguesa: “O poço”, por meio do método fenomenológico. A personagem central, Goreng, é construída por meio de signos em uma representação dos seres humanos que se indignam com as injustiças de um sistema classista, desigual e combinado. Nessa analogia, somos convidados a refletir sobre a legitimidade das ações de força e coerção no âmbito do conflito dramático no qual estão inseridas, de construção de algo diferente à lógica estabelecida. O objeto que a personagem escolhe para acompanhá-lo na jornada é um livro, “Dom Quixote”, escrito por Miguel de Cervantes, que narra as desventuras do pequeno fidalgo castelhano que perde o juízo. Traçamos um paralelo com a sociedade neoliberal e com a escola própria deste tempo. Em uma sociedade verticalizada, a liberdade é sobreviver? Não buscamos trazer respostas de como a obra deve ser tangenciada, mas o que nos ocorreu ao imergir nela.
https://doi.org/10.23926/RPD.2526-2149.2020.v5.n2.p1298-1313.id710
PDF

Referências

APPLE, Michael W. Os professores e o currículo: abordagens sociológicas. (Educa. Currículo: 2) IAG – Artes Gráficas, Lisboa, 1999.

ARENDT, Hanna. Entre o Passado e o Futuro. São Paulo: Perspectiva, 2009.

BAUDRILLARD, Jean. O sistema dos objetos. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2008.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases. Lei nº 9.394, de 23 de dezembro de 1996. Brasília-DF: Ministério da Educação, 1996.

BRASIL. Lei n° 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Brasília-DF: Ministério da Educação, 2017.

BICUDO, Maria Aparecida Viggiani. Sobre a fenomenologia. In: BICUDO, Maria Aparecida Viggiani; ESPOSITO, Vitória Helena Cunha (orgs). Pesquisa qualitativa em educação: um enfoque fenomenológico. Piracicaba: Editora da UNIMEP, 1994. p. 15-22.

BUCKINGHAM, David. Crescer na era das mídias eletrônicas. São Paulo: Edições Loyola, 2007.

CASTELLS, Manuel. O poder da comunicação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

CHAUÍ, Marilena. Ideologia neoliberal e universidade. In: OLIVEIRA, Francisco de; PAOLI, Maria Célia (orgs). Os sentidos da democracia: políticas do dissenso e hegemonia global. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. 1 ed. Boitempo, 2016.

DELEUZE, Gilles. Post-scriptum sobre as sociedades de controle. In: DELEUZE, Gilles. Conversações. Rio de Janeiro: Editora 34, 2000.

DOSTOIEVSKI, Fiodor. Os irmãos Karamazov: texto integral. Série: Coleção a obra prima de cada autor. Série ouro; 26. São Paulo: Martin Claret, 2003.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

FRIEDMAN, Milton. Capitalismo e liberdade. São Paulo: Abril Cultural, 1984.

GRAMSCI, Antonio. Quaderni del carcere: edizione critica dell'Istituto Gramsci a cura di Valentino Gerratana. Turim: Einaudi, 1975.

HAYEK, Friedrich August von. O caminho da servidão. São Paulo: Instituto Ludwing von Mises Brasil, 6 ed., 2010.

LAVAL, Christian. A escola não é uma empresa. O neo-liberalismo em ataque ao ensino público. Trad. Maria Luiza M. de Carvalho e Silva. Londrina: Planta, 2004.

MARX, Karl Heinrich. Crítica ao Programa de Gotha. Edição Ridendo Castigat Mores. Versão para e-book, 1999.

NAPOLITANO, Celso. Os tortuosos caminhos de uma mina de dinheiro. In: MARINGONI, Gilberto. O negócio da educação: as aventuras das universidades privadas na terra do capitalismo sem risco. São Paulo: Olho d´Água, 2017. p.11-26.

Creative Commons License

Este trabalho está licensiado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 A Revista Prática Docente tem o direito de primeira publicação

Downloads

Não há dados estatísticos.