CONCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE IDENTIDADES JUVENIS NO CONTEXTO DAS REDES SOCIAIS VIRTUAIS
PDF

Palavras-chave

Concepções docentes
Identidades juvenis
Redes sociais virtuais
Jovens Teaching concepts
Youth identities
Virtual social networks
Young

Como Citar

COSTA, D. P. DA. CONCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE IDENTIDADES JUVENIS NO CONTEXTO DAS REDES SOCIAIS VIRTUAIS. Revista Prática Docente, v. 5, n. 2, p. 1314-1328, 31 ago. 2020.

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir as concepções de cinco professores de Ensino Médio do Instituto Federal do Piauí sobre identidades juvenis no contexto das redes sociais virtuais. O estudo é de abordagem qualitativa e caráter descritivo. Os docentes foram entrevistados entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018. As respostas desses sujeitos foram interpretadas pela Análise de Discurso. A forma como os professores entrevistados percebem os jovens no contexto das redes sociais enunciam uma perspectiva de juventude pluralizada e em constantes transformações. Permite detectar necessidades dos educandos nesse cenário, como orientações e espaços coletivos que propiciem conhecimentos sobre saúde emocional, diversidades, pensamento crítico e projeto de vida. Recomenda-se a abertura, por parte de profissionais da educação, ao diálogo com alunos e tecnologias, pois reconhecer as identidades subjetivas em percepções sensíveis é um ato educativo de caráter social para a docência na atualidade e para a formação integral dos educandos.
https://doi.org/10.23926/RPD.2526-2149.2020.v5.n2.p1314-1328.id716
PDF

Referências

ADAD, Shara Jane Holanda Costa. Juventudes e corpos na educação contemporânea. In: BOMFIM, Maria do Carmo Alves do; ADAD, Shara Jane Holanda Costa; NASCIMENTO, Adriana Loiola do (Org.). Educação, diversidades e políticas de inclusão: juventudes, cultura de paz e subjetividades. v. 2. Teresina: EDUFPI, 2014. p. 41-47.

ALVES, Rubem. Educação dos sentidos e mais... Campinas, São Paulo: Verus Editora, 2010.

BAUMAN, Zygmunt. 44 Cartas do Mundo Líquido Moderno. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Tradução Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BORTOLAZZO, Sandro Faccin. Nascidos na era digital: outros sujeitos, outra geração. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICAS DE ENSINO (ENDIPE), 16, 2012, Campinas. Anais... Campinas: Junqueira&Marin Editores, 2012. p. 2-13.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Ministério da Educação. Brasília, 14 de dezembro de 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 10 jan. 2019.

CANEVACCI, Massimo. A comunicação entre corpos e metrópoles. Revista signos do consumo, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 8–20, abr. 2009. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.1984-5057.v1i1p8-20. Acesso em: 20 fev. 2018.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. 18. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2017.

DAYRELL, Juarez. A escola “faz” as juventudes? Reflexões em torno da socialização juvenil. Educação e sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, p. 1105-1128, out. 2007. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0101-73302007000300022. Acesso em: 12 out. 2017.

DAYRELL, Juarez. O jovem como sujeito social. Revista brasileira de educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 44-52, dez. 2003. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-24782003000300004. Acesso em: 12 out. 2017.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Foucault e a análise do discurso em educação. Cadernos de pesquisa, São Paulo, n. 114, p. 197-223, nov. 2001. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-15742001000300009. Acesso em: 18 dez. 2017

FRANCO, Maria Amélia do Rosario Santoro. Prática pedagógica e docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito. Revista brasileira de estudos pedagógicos, Brasília, v. 97, n. 247, p. 534-551, set./dez. 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s2176-6681/288236353. Acesso em: 12 maio 2020.

GUATARRI, Félix. Caosmose: um novo paradigma estético. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora 34, 2012.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. 3. ed. São Paulo, Editora 34, 2010.

LUDWIG, Antonio Carlos Will. Métodos de pesquisa em educação. Revista temas em educação, João Pessoa, v. 23, n. 2, p. 204-233, jul./dez. 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/rteo/article/view/18881/12572 Acesso em: 12 maio 2020.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa social. teoria, método e criatividade. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

PAIS, José Machado. Jovens e Cidadania. Sociologia, problemas e práticas, Lisboa, v. 1, n. 49, p. 53-70, fev. 2005.

PALFREY, John; GASSER, Urs. Nascidos na era digital: entendendo a primeira geração de nativos digitais. Porto Alegre: Artmed, 2011.

PRENSKY, Marc. Nativos Digitais, Imigrantes Digitais. Tradução Roberta de Moraes Jesus de Souza. On the Horizon, Oxford, v. 9. n. 5, p. 1-6, jan. 2001.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

ROCHA, Ruth. Quando a escola é de vidro. Rio de Janeiro: Salamandra, 1986.

TARDIVO, Cassiana. Os filhos do quarto. Sergipe: Colégio Americano Batista, 2016. Disponível em: http://colegioamericanobatista.com.br/2016/11/04/os-filhos-do-quarto/ Acesso em: 15 jun. 2017.

Creative Commons License

Este trabalho está licensiado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 A Revista Prática Docente tem o direito de primeira publicação

Downloads

Não há dados estatísticos.