A IMPORTÂNCIA DE AULAS TEÓRICA E DE CAMPO PARA ABORDAR QUESTÕES AMBIENTAIS DO BIOMA CERRADO
PDF

Palavras-chave

Environmental destruction; Didactic strategies; Environmental protection. Destruição ambiental; Estratégias didáticas; Proteção ambiental.

Como Citar

DEUS, P. H. M. DE; ROQUE, F. A IMPORTÂNCIA DE AULAS TEÓRICA E DE CAMPO PARA ABORDAR QUESTÕES AMBIENTAIS DO BIOMA CERRADO: UM ESTUDO DE CASO. Revista Prática Docente, v. 5, n. 2, p. 1124-1138, 31 ago. 2020.

Resumo

Devido aos problemas ambientais enfrentados pelo bioma Cerrado é urgente aplicar ações voltadas à sua proteção. Nesse sentido, a educação ambiental se mostra como uma excelente abordagem para a conscientização dos efeitos das ações humanas nesse bioma. Neste trabalho, realizado em março de 2018 no Instituto Federal de Brasília (Campus Recanto das Emas), foi avaliada a eficácia de aulas teórica e de campo para abordar os problemas ambientais observados nesse bioma. Nossos resultados sugerem que ambas as aulas foram satisfatórias. Isso porque em ambos os casos houve rendimento similar e aumento do interesse dos discentes pela questão ambiental. Portanto, os dados deste estudo sugerem que reflexões e ações discentes sobre questões ambientais independem da estratégia didática adotada.
https://doi.org/10.23926/RPD.2526-2149.2020.v5.n2.p1124-1138.id745
PDF

Referências

ALMEIDA-NETO, Mário; PRADO, Paulo I; KUBOTA, Umberto; BARIANI, Joice M.; AGUIRRE, Guilherme H.; Lewinsohn, Thomas M. Invasive grasses and native Asteraceae in The Brazilian Cerrado. Plant Ecology, v. 209, p. 109-122, 2010. doi: 10.1007/s11258-010-9727-8.

ALVES, Edson Ferreira; OLIVEIRA, Itaní Sampaio; ALVES, Claúdio Nahum. Trilha ecológica pedagógica: um caminho para o ensino da educação ambiental em uma escola pública do município de Manaus (AM). Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 13, p. 153-169, 2018. doi: 10.34024/revbea.2018.v13.2468.

ANSELMO, Josiane Santana; AIRES, Isabel Cristina S.; LIMA, Renato Abreu. A educação ambiental e o ensino de biologia em uma escola privada no município de Porto Velho-RO. Semana Educa, v. 1, p.1-9, 2013. Disponível em: file:///C:/Users/ROQUINHO/Downloads/1113-4051-1-PB.pdf. Acesso em março de 2020.

BONO, José Antonio Maior et al. Cobertura vegetal e perdas de solo por erosão em diversos sistemas de melhoramento de pastagens nativas. Pasturas Tropicales, v. 18, p. 2-8, 1996. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/113297/1/Vol18-rev2-96-art2.pdf. Acesso em janeiro de 2020.

BRIGHENTI, Josiane; BIAVATTI, Vania Tanira; DE SOUZA, Taciana Rodrigues. Metodologias de ensino-aprendizagem: uma abordagem sob a percepção dos alunos. Revista Gestão Universitária na América Latina - GUAL, v. 8, n. 3, p. 281-304, 2015. doi: 10.5007/1983-4535.2015v8n3p281.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Em direção ao mundo da vida: interdisciplinaridade e educação ambiental. Brasília: IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas, 1998.

DIAS, Genebaldo Freire. Os quinze anos da Educação Ambiental no Brasil: um depoimento. Em aberto, v. 10, n. 49, p. 3-14, 1991. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/documents/186968/485895/Educa%C3%A7%C3%A3o+ambiental/3 7cbac3e-3bc6-4783-bc30-017a350437b5?version=1.3 Acesso em maio de 2020.

DICKMANN, Ivo; CARNEIRO, Sônia Maria Marchiorato. Paulo Freire e Educação ambiental: contribuições a partir da obra Pedagogia da Autonomia. Revista de Educação Pública, v. 21, n. 45, p. 87-102, 2012. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/334/302 Acesso em maio de 2020.

FERNANDES, José Artur Barroso. Você vê essa adaptação? A aula de campo em ciências entre o retórico e o empírico. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-14062007-165841/pt-br.php. Acesso em janeiro de 2020.

FERREIRA, André Luis de Souza; PASA, M aria Corette. Aula de campo como metodologia de ensino em ecologia de florestas, chapada dos Guimarães-MT, BRASIL. Biodiversidade, v. 14, p. 49-62, 2015. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/2251/1620. Acesso em janeiro de 2020.

FRENEDOZO, Rita de Cássia; RIBEIRO, Júlio César; COSTA, Célio Pereira. Atividades de campo no ensino de ciências: uma abordagem de educação ambiental no ensino fundamental na cidade de Bertioga, estado de São Paulo. Anais do VI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação e Ciências, Florianópolis/SC, 2007. Disponível em: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/vienpec/CR2/p376.pdf. Acesso em janeiro de 2020.

GUIMARÃES, Mauro. Educação ambiental: no consenso um embate? Campinas: Papirus, 2000.

HAMMER, Øyvind; HARPER, David A. T.; RYAN, Paul D. PAST: Paleontological Statistics Software Package for Education and Data Analysis. Palaeo Electronica, v.4, p.1-9. 2001.Disponível em: https://palaeo-electronica.org/2001_1/past/past.pdf. Acesso em novembro de 2018.

HIGUCHI, Maria Inês Gasparetto; AZEVEDO, Genoveva Chagas. Educação como processo na construção da cidadania ambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 1, p. 63-70, 2004. doi: 10.34024/revbea.2004.v1.1859.

JACOBI, Pedro. Educação e meio ambiente–transformando as práticas. Revista Brasileira de Educação Ambiental, Brasília, v. 1, p. 28-35, 2004. doi: 10.34024/revbea.2004.v1.1859.

KLINK, Carlos A.; MACHADO, Ricardo B. Conservation of the Brazilian Cerrado. Conservation Biology, v. 19, p. 707-713, 2005. doi: 10.1111/j.1523-1739.2005.00702.x.

MACHADO, Ricardo B.; NETO, Mário B. Ramos; PEREIRA, Paulo Gustavo P.; CALDAS, Eduardo F.; GONÇALVES, Demerval A.; SANTOS, Nazareno S.; TABOR, Karyn; STEININGER, Marc. Estimativas de perda da área do Cerrado brasileiro. Conservação Internacional, Brasília, DF, 2004. Disponível em: http://cmbbc.cpac.embrapa.br/RelatDesmatamCerrado%20CIBrasil%20JUL2004.pdf. Acesso em novembro de 2018.

MADEIRA, Miguel Carlos. Situações em que a aula expositiva ganha eficácia. XII Congresso Nacional de Educação, Araçatuba/SP, 2015. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/21752_10083.pdf. Acesso em fevereiro de 2020.

MARCATTO, Celso. Educação Ambiental: Conceitos e Princípios, 1ª edição setembro, Belo Horizonte: FEAM, 2002. Disponível em: http://www.feam.br/images/stories/arquivos/Educacao_Ambiental_Conceitos_Principios.pdf. Acesso em novembro de 2018.

MORAES, Sandra Regina; ADACHESKI, Desyrre Raphaela; CRUZ, Lutécia Hiera; ROCHA, José Roberto Caetano. Investigação da eficácia de aulas teóricas e práticas no processo ensino-aprendizagem de estudantes do 5º ano. Ensino & Pesquisa, v. 14, p. 188-213, 2016. Disponível em: http://periodicos.unespar.edu.br/index.php/ensinoepesquisa/article/view/1197/629. Acesso em dezembro de 2019.

MOTOKANE, Marcelo Tadeu; TRIVELATO, Silvia L.F. Reflexões sobre o ensino de ecologia no ensino médio. Anais II Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 1999. Disponível em: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/ii-enpec/trabalhos/G32.pdf. Acesso em janeiro de 2019.

NASCIMENTO, Maria Vitória Élida; ALMEIDA, Elinei Araújo. Importância da realização de trilhas participativas para o conhecimento e conservação da diversidade biológica: uma análise da percepção ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 23, p. 358-368, 2009. doi: 10.14295/remea.v23i0.4565.

NOGUEIRA, Bárbara Gabriele de Souza; GONÇALVES, Guilherme Machado; MENEZES, Raquel Vizzotto; RODRIGUES, Reginaldo. Educação Ambiental: a relação entre as aulas de Campo e o conteúdo formal da Biologia. X Congresso Nacional de Educação (EDUCERE)/ I Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividade e Educação (SIRSSE), Curitiba/PR, 2011. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/cd2011/pdf/4441_3410.pdf. Acesso em novembro de 2018.

RATTER, James Alexander; RIBEIRO, José Felipe; BRIDGEWATER, Samuel. The Brazilian Cerrado vegetation and threats to its biodiversity. Annals of Botany, v. 80, p. 223-230, 1997. doi: 10.1006/anbo.1997.0469.

ROCHA, Artur Batista de Oliveira. Trabalhando com educação ambiental no ensino de Biologia. UNAR, v. 4, p. 38-46, 2010. Disponível em: http://revistaunar.com.br/cientifica/documentos/vol4_n1_2010/5_trabalhando_com_educacao_ambiental.pdf. Acesso em novembro de 2018.

RODRIGUES, José Jorge Vale; STROHSCHOEN, Andreia Aparecida Guimaraes; MARCHI, Miriam Inês. Potencialidades das saídas a campo: reflexões a respeito do ensino de física e meio ambiente. Revista Ciência em Extensão, v. 13, p.44-59, 2017. Disponível em: https://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/article/view/1521/1373. Acesso em novembro de 2018.

SANTOS, Bianca Guimarães Severo; ROYER, Marcia Regina. O desenvolvimento do pensamento crítico sobre educação ambiental e meio ambiente: concepção dos alunos do ensino médio do município de UNIFLOR – PR. Revista Prática Docente, v. 5, p. 234-248, 2020. https://doi.org/10.23926/RPD.2526-2149.2020.v5.n1.p234-248.id578.

SENICIATO, Tatiana; CAVASSAN, Osmar. Aulas de campo em ambientes naturais e aprendizagem em ciências: um estudo com alunos do ensino fundamental. Ciência e Educação, v. 10, p. 133-147, 2004. doi: 10.1590/S1516-73132004000100010.

SOARES, Wagner Lopes; PORTO, Marcelo Firpo. Atividade agrícola e externalidade ambiental: uma análise a partir do uso de agrotóxicos no Cerrado brasileiro. Ciência e Saúde Coletiva, v. 12, p. 131-143, 2007. doi: 10.1590/S1413-81232007000100016.

VIVEIRO, Alessandra Aparecida; DINIZ, Renato Eugênio da Silva. Atividades de campo no ensino das ciências e na educação ambiental: refletindo sobre as potencialidades desta estratégia na prática escolar. Ciência em Tela, v. 2, p. 9-13, 2009. Disponível em: http://www.cienciaemtela.nutes.ufrj.br/artigos/0109viveiro.pdf. Acesso em novembro de 2018.

ZACARIAS, Rachel. Consumo, lixo e educação ambiental: uma abordagem crítica. Juiz de Fora: FEME, 2000.

Creative Commons License

Este trabalho está licensiado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 A Revista Prática Docente tem o direito de primeira publicação

Downloads

Não há dados estatísticos.