O PAPEL DO ERRO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA
PDF

Palavras-chave

Sciences and Mathematics
Teaching
Learning
Neuroscience
Mistake Ciências e Matemática
Ensino
Aprendizagem
Neurociência
Erro

Como Citar

DAMASCENO JÚNIOR, J. A. O PAPEL DO ERRO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA: CONTRIBUTOS DA NEUROCIÊNCIA. Revista Prática Docente, v. 5, n. 2, p. 1171-1190, 31 ago. 2020.

Resumo

Nesta pesquisa, realizou-se uma investigação sobre a compreensão do erro no processo de ensino e aprendizagem. Nesse sentido, levantou-se uma questão central: a partir das contribuições da Neurociência, qual o papel do erro no processo de ensino e aprendizagem de Ciências e Matemática? A pesquisa tomou por base autores da área, documentos oficiais nacionais, e resultados de pesquisas anteriores descritos em artigos, dissertações e teses, no período de 1983 a 2019. Os resultados indicam que através da compreensão do erro, sua gênese e desenvolvimento, especialmente à luz da Neurociência, será possível superá-lo, assim, favorecer a atuação do professor, permitindo que ele aborde os conceitos de Ciências e Matemática com estratégias mais adequadas. Todavia, a interlocução entre a Neurociência e a Educação não deve se limitar em obter o conhecimento dos mecanismos cerebrais para a sua aplicação, sem levar em consideração o contexto do sistema educacional.
https://doi.org/10.23926/RPD.2526-2149.2020.v5.n2.p1171-1190.id759
PDF

Referências

ALMOULOUD, Saddo Ag. Fundamentos da Didática da Matemática / Saddo Ag Almouloud. Curitiba: Ed. UFPR, 2007.

ALMOULOUD, Saddo Ag. Fundamentos da Didática da Matemática. 1ª ed. Curitiba. PR: Editora UFPR, 2010.

ASTOLFI, Jean Pierre; DEVELAY, Michel. A didática das ciências. Campinas: Papirus, 2002.

AUSUBEL, David Pearl (2000). The acquisition and retention of knowledge: a cognitive view. Dordrecht, Kluwer Academic Pubishers. 210 p.

BARTOSZECK, Amauri Betini. Neurociência na educação. Revista Eletrônica Faculdades Integradas Espírita, Curitiba, volume 01, p. 1-6, 2006.

BATISTA, Érika da Costa. Neuroeducação e ensino das ciências: contribuições cognitivas para o ensino fundamental I. 2018. 88f. Manaus: Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia - Universidade do Estado do Amazonas, Manaus, 2018. Disponível em: http://177.66.14.82/handle/riuea/2225. Acesso em: 09 jun. 2018.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Ensino Básico. Parâmetros Curriculares Nacionais Ensino Médio. Brasília. MEC/SEB, 2000 109 p.

BRASIL, Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. PCN+: Ensino Médio – orientações educacionais complementares aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília. MEC/SEB, 2002.

BROCKINGTON, Guilherme. Neurociência e educação: investigando o papel da emoção na aquisição e uso do conhecimento científico. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Educação. Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 199 pp. 2011.

BROUSSEAU, Guy. Les obstacles épistemoloques et les problémesem mathématiques. Recherches emDidaticque des Mathématiques. Grenoble : La Pensée Sauvage, v. 4.2 p.164-198, 1983.

CHIQUETTO, Marcos José. O currículo de Física do ensino médio no Brasil: discussão retrospectiva. Revista e-curriculum, São Paulo, v.7 n.1 Abril/2011. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum. Acesso em: 09 jun. 2020.

COSENZA, Ramon Moreira; GUERRA, Leonor Bezerra. Neurociência e educação: como o cérebro aprende. Porto Alegre: Artmed, 2011.

CRESWELL, John. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

CURY, Helena Noronha. Análises de erros: o que podemos aprender com as respostas dos alunos. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

DAMASCENO, Julio Cesar Gonçalves. O ensino de astronomia como facilitador nos processos de ensino e aprendizado. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação Mestrado Nacional Profissional de Ensino de Física (MNPEF). Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, 137 pp. 2016.

DAMASCENO JÚNIOR, José Ademir; ROMEU, Mairton Cavalcante. O Planetário como recurso metodológico para facilitar o ensino de Física por meio da ruptura entre o conhecimento científico e o conhecimento comum. Revista Prática Docente, Confresa, v. 3, n. 1, p. 231-248, 2018. Disponível em: http://periodicos.cfs.ifmt.edu.br/periodicos/index.php/rpd/article/view/206/64. Acesso em: 01 fev. 2020.

D’AMORE, Bruno. Epistemologia e Didática da Matemática. Trad. Maria Cristina Bonomi Barufi. São Paulo: Escrituras Editora, 2005.

DARROZ, Luiz Marcelo; SANTOS, Flávia Maria Teixeira dos. Astronomia: uma proposta para promover a aprendizagem significativa de conceitos básicos de Astronomia na formação de professores em nível médio. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 30, n.1, p. 104-130, 2011.

DUNBAR, Kevin; FUGELSANG, Jonathan et al. Do naive theories ever go away? Using brain and behavior to understand changes in concepts. Thinking With Data, p. 193. 2007.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GROSSI, Márcia Gorett Ribeiro; LOPES, Aline Moraes; COUTO, Pablo Alves. A neurociência na formação de professores: um estudo da realidade brasileira. Revista da FAEEBA-Educação e Contemporaneidade, Salvador, volume 23, n. 41, p. 27-40, 2014.

JARDIM, Luciana de Moraes; CAMARGO, Sergio; ZIMER, Tania Teresinha Bruns. Transposição didática no Ensino de Ciências: Diferentes olhares. In: XII Congresso Nacional de Educação (EDUCERE) 2015. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/17323_10412.pdf. Acesso em: 09 jun. 2020.

MENDONÇA, André G. et al. The impact of learning on perceptual decisions and its implication for speed-accuracy tradeoffs. Nat Commun 11, 2757 (2020). https://doi.org/10.1038/s41467-020-16196-7

MOREIRA, Marco Antonio; MASINI, Salzano Elcie F. et al. Aprendizagem Significativa – Condições para ocorrências e lacunas que levam a comprometimentos. 1 ed. São Paulo: Psicopedagógica LTDA, 2008.

MUNIZ, Iana. Neurociência e os exercícios mentais: estimulando a inteligência criativa. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2014.

OLIVEIRA, Joselba Liliane; ARRUDA, Aline Mendes de; SILVA, Fernando Carneiro da; CAMARGO, Joseli Almeida (2012). Os Conceitos de erro, obstáculo e contrato didático segundo Guy Brousseau, III EIEMAT ¬ Escola de Inverno de Educação Matemática.

PLUMMER, Julia Diane.Students’ development of astronomy concepts across time. Doctoral Dissertation, The University of Michigan. 2006.

RELVAS, Marta Pires. Neurociência e transtornos de aprendizagem: as múltiplas eficiências para uma educação inclusiva. 5ª Edição. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2011.

ROZAL, Edilene Farias; SOUZA, Ednilson Sergio Ramalho de; SANTOS, Neuma Teixeira dos. Aprendizagem em matemática, aprendizagem significativa e neurociência na educação dialogando aproximações teóricas. Revista REAMEC, Cuiabá - MT, v. 5, n. 1, p. 143-164, 2017. Disponível em: https://doaj.org/article/40292da042374857b93ffdc59d3df699. Acesso em: 09 ago. 2020.

SILVA, Jennifer Alejandra Suárez; BRAIBANTE, Mara Elisa Fortes. Aprendizagem significativa: concepções na formação inicial de professores de Ciências. Revista Insignare Scientia, vol. 1, n. 1, p. 1-22, 2018. Disponível em: https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/7657/5132. Acesso em: 09 ago. 2020.

SILVA, Luciano Pontes da. Um estudo da atenção seletiva na aprendizagem das funções trigonométricas: etiologias e tipologias de erros na perspectiva da neurociência cognitiva. 2019. 209f. São Cristóvão: Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Naturais e Matemática - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2019. Disponível em: https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/11410/2/LUCIANO_PONTES_SILVA.pdf. Acesso em: 09 jun. 2020.

SIQUEIRA, Maxwell; PIETROCOLA, Maurício. A Transposição Didática aplicada a teoria contemporânea: A Física de Partículas elementares no Ensino Médio. In: X Encontro de Pesquisa em Ensino de Física – EPEF, 2006, Londrina. Anais do X Encontro de Pesquisa em Ensino de Física – EPEF. v. 1. p. 1-10. Disponível em: https://scholar.google.com.br/citations?user=_mS4u30AAAAJ&hl=pt-BR. Acesso em: 10 mai. 2017.

STERNBERG, Robert J. Psicologia Cognitiva. São Paulo: CengageLearing, 2010.

THIOLLENT, Michel. Metodologia de Pesquisa-ação. São Paulo: Saraiva, 2009.

VIZZOTTO, Patrick Alves. A Neurociência na formação do professor de Física: Análise curricular das licenciaturas em Física da região Sul do Brasil. Revista Insignare Scientia, volume 02, n. 2, p. 150-165, 2019.

WILLINGHAM, Daniel T. Por que os alunos não gostam da escola? Reposta da ciência cognitiva para tornar a sala de aula atrativa e efetiva. Porto Alegre: Artmed, 2011.

Creative Commons License

Este trabalho está licensiado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 A Revista Prática Docente tem o direito de primeira publicação

Downloads

Não há dados estatísticos.