CRÍTICA E POÉTICA PARA O APRENDIZADO SOBRE A PAISAGEM NO ENSINO DE GEOGRAFIA

João Vitor Gobis Verges

Resumo


Resumo: Com este artigo, apresentam-se os resultados de uma proposta realizada no âmbito do processo de ensino-aprendizagem sobre a paisagem, procurando ampliar a indicação do papel do "sentimento da paisagem” como mecanismo de construção de leituras geográficas por estudantes do ensino médio. Neste quesito, a interpretação da paisagem como portadora de dimensões econômicas e políticas estruturantes é complementada com a inserção afetiva erguida através da poética, permitindo a ampliação das exposições dos significados da paisagem para os estudantes. Para isto, utilizou-se do desenvolvimento de aula expositiva, seguida da propositura fotográfica dos locais de identificação afetiva, realizando posteriormente descrições críticas das paisagem e, conjuntamente, poesias sobre os sentimentos gerados por elas. Obteve-se, então, a possibilidade de compreender a análise ofertada pelos discentes e suas raízes valorativas no contexto geográfico, assentindo a ampliação das fronteiras de entendimento entre a relação sociedade/natureza em diferentes escalas, além de ratificar a fotografia e poesia como caminho para o ensino de geografia.

Palavras-chave: Categorias Geográficas. Ensino-Aprendizagem. Sequência Didática.

 

Abstract: This paper presents the results of a proposal made in the context of the teaching-learning pro-cess on the landscape, aiming to assess the role of "landscape feeling" as a mechanism for the construction of geographic readings by secondary school students. the interpretation of the landscape as a vehicle of economic and structural policy dimensions is complemented with the built affective insertion through the poetic, allowing the expansion of the exhibition of land-scape meanings for students. for this, we used the development of lecture, followed the pro-posal in which students photographed affective identification of sites and subsequently to prepare descriptions criticism of landscape and, together poems about the feelings generated by them. was obtained, then the possibility of understanding the analysis offered by students and their evaluative roots in geographic context, on the basis of the of the boundaries of un-derstanding between the society / nature relationship at different scales, in addition to ratify-ing photography and poetry as a way to teach geography.

Keywords: Geographical Categories. Teaching-Learning. Didactic Sequence.


Palavras-chave


Categorias Geográficas; Ensino-Aprendizagem; Sequência Didática

Texto completo:

PDF

Referências


PEREIRA, Simões; ROMERO, Avelino. Ciências Humanas e suas Tecnologias. Parâmetros curriculares nacionais, ensino médio, 2000.

SCHIER, Raul Alfredo. Trajetórias do conceito de paisagem na geografia. RA'E GA-O Espaço Geográfico em Análise, v. 7, 2003.

TUAN, Yi-Fu. Espaço, tempo, lugar: um arcabouço humanista/Space, time, place: a humanistic frame. Geograficidade, v. 1, n. 1, p. 4-15, 2011.

MAXIMIANO, Liz Abad. Considerações sobre o conceito de paisagem. Raega-O Espaço Geográfico em Análise, v. 8, 2004.

DE LIMA GUIMARÃES, Solange Terezinha. Reflexões a respeito da paisagem vivida, topofilia e topofobia à luz dos estudos sobre experiência, percepção e interpretação ambiental. Geosul, v. 17, n. 33, p. 117-142, 2002.

VERGES, João Vitor Gobis; BAUAB, Fabrício Pedroso. A Transdisciplinaridade da Ciência de Alexander Von Humboldt (1769-1859): Intersecções junto aos Debates Contemporâneos sobre o Conhecimento. Boletim de Geografia, v. 33, n. 3, p. 17-30, 2016.

VESENTINI, José William. Geografia e ensino: textos críticos. Papirus Editora, 1994.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. Rio de janeiro: Record, v. 174, p. 25, 2000.

SALGUEIRO, Teresa Barata. Paisagem e geografia. Finisterra, v. 36, n. 72, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.23926/RPD.2526-2149.2018.v3.n2.p740-751.id150

Apontamentos

  • Não há apontamentos.