SEQUÊNCIA DIDÁTICA SOBRE MICRORGANISMOS DA ÁGUA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Maira dos Santos Silveira, Geovane Bernardi, Ariadne de Freitas Leonardi, Sabrina Antunes Ferreira, Andréa Inês Goldschmidt

Resumo


Resumo: A pesquisa objetivou construir e validar uma Sequência Didática (SD) sobre microrganismos da água, tendo sido desenvolvida com um grupo de oitenta e nove alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental, de uma escola pública da rede estadual do Rio Grande do Sul, localizada em Palmeira das Missões. Foram realizadas diferentes atividades, como: modelagem de microrganismos com massinha de modelar; observação de amostras de água ao microscópio; e, uma atividade lúdica com as gotinhas de água Gotilde e Pingote. Para a avaliação foi realizado a construção de um texto pelos alunos, seguida da análise de conteúdo. Os resultados evidenciaram boa aceitação da SD, tendo sido citadas todas as atividades realizadas, com percentuais mais elevados para a observação ao microscópio e para a confecção de modelo tridimensional com massa de modelar. O uso das estratégias contribuiu para melhor aprendizagem dos alunos, auxiliando no reconhecimento de que os microrganismos podem estar em todos os ambientes, que existem diferentes formas e tamanhos; e que estes seres microscópicos não são somente maléficos. Desta forma, as estratégias de ensino se mostraram pertinentes, representando uma alternativa potencialmente significativa na aprendizagem sobre microrganismos nos anos iniciais.

Palavras-chave: Primeiros anos. Aulas práticas. Aprendizagem.

 

Abstract: The research aimed to construct and validate a Didactic Sequence on water microorganisms. It was developed with a group of eighty - nine students from the initial years of Elementary School, from a public school of the state network of Rio Grande do Sul, located in city Palmeira das Missões. Different activities were carried out, such as: modeling of microorganisms with modeling clay; observation of water samples under a microscope; and, a playful activity with the droplets of water Gotilde and Pingote. For the evaluation was made the construction of a text by the students, followed by content analysis. The results showed a good acceptance of DS, and all the activities performed were mentioned, with higher percentages for observation under the microscope and for the making of a three-dimensional model with modeling mass. The use of the strategies contributed to the better learning of the students, aiding in the recognition that the microorganisms can be in all the environments, that there are different forms and sizes; and that these microscopic beings are not only maleficent. In this way, teaching strategies were relevant, representing a potentially significant alternative in learning about microorganisms in the early years.

Keywords: First years. Practical classes. Learning.


Palavras-chave


Primeiros anos; Aulas práticas; Aprendizagem

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, G. G.; BRAGA, R. P. S. e GOMES, V. Conhecimento dos alunos sobre microrganismos e seu uso no cotidiano. Revista de Educação, Ciências e Matemática, Rio de Janeiro, v. 2, n. 1, p. 58-64, 2012.

BARBOSA, F. G. e OLIVEIRA, N. C. Estratégias para o Ensino de Microbiologia: uma Experiência com Alunos do Ensino Fundamental em uma Escola de Anápolis-GO. Cient., Ciênc. Human. Educ., UNOPAR, Londrina, v. 16, n. 1, p. 5-13, Jan. 2015.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BEREZUK, P.A e INADA, P. Avaliação dos laboratórios de ciências e biologia das escolas públicas e particulares de Maringá, Estado do Paraná. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences. Maringá, v. 32, n. 2, p. 207-215, 2010

BESERRA, J. G. e BRITO C. H. Modelagem didática tridimensional de artrópodes, como método para o ensino de Ciências e Biologia. Revista brasileira de ensino de Ciência e tecnologia. Bananeiras, Paraíba, v. 5, n. 3, p. 70-88, 2012.

BOER, N.; Educação Ambiental e visões de mundo: uma análise pedagógica e epistemológica. Tese de Doutorado, Florianópolis: UFSC, 2007.

BOER, N.; Educação ambiental em escolas de 1º grau. Dissertação de Mestrado, Santa Maria: UFSM, 1993.

CARNEIRO, M. R. P.; MELO C. R. T. M. S. C. e SANTOS, D. R. Percepção dos alunos do ensino fundamental da rede pública de Aracaju sobre a relação da Microbiologia no cotidiano. Scientia plena, 8, 1-4, 2012.

CASSANTI, A. C et al. Microbiologia democrática: estratégias de ensino-aprendizagem e formação de professores. Colégio Dante Alighieri. São Paulo: 2007.

CASTRO, D.R. (2010). Estudo de conceitos de seres vivos nas séries iniciais. 2010. Dissertação (Mestrado)- Universidade Federal da Bahia. Salvador.

CASTRO, T. F. e GOLDSCHMIDT, A. I. Aulas práticas em ciências: concepções de estagiários em licenciatura em biologia e a realidade durante os estágios. Amazônia Revista de Educação em Ciências e Matemática. v.12 (24) Jan-Jul 2016. p. 116-134.

CASTRO, V. M. A et al. Parâmetros microbiológicos de águas de rios coletadas em alguns municípios da Paraíba. Centro de Tecnologia. Departamento de Tecnologia Química e de Alimentos. Monitoria,2003.

COSTA NETO, E. M. e CARVALHO, P. D. Percepção dos insetos pelos graduandos da Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia, Brasil. Acta Scientiarum, 22 (2): 423- 428, 2000.

FERNANDES, L. S.; CAMPOS, A. F. e MARCELINO JÚNIOR, C. A. C. Concepções alternativas dos estudantes sobre ligação química. Experiências em Ensino de Ciências. Mato Grosso, v.5, n. 3, p. 19-27, 2010

FORTUNA, T. R. (2003). Sala de aula é lugar de brincar? In: Xavier,

M. L. M. & Zen, M. I. H. D. (Orgs.). Planejamento em destaque: análises menos convencionais (pp. 127-142). 3. ed. Porto Alegre: Mediação

FRACALANZA, H.; AMARAL, I. A. e GOUVEIA, M. S. F. O ensino de Ciências no Primeiro Grau. São Paulo: Atual, 1987. 124 p.

FRANCO M. T. et al. Aprendizagem em museus de ciências: o pequeno visitante no Museu de Microbiologia. Relatório de Pesquisa, Fapesp, 2012.

GUIMARÃES, Y. e A. F.; GIORDAN, M. Estudo Dirigido de Iniciação à Sequência Didática. Especialização em Ensino de Ciências, Rede São Paulo de Formação Docente (REDEFOR). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2012.

KLEINKE, R. C. M. Aprendizagem Significativa: a pedagogia por projetos no processo de alfabetização. Florianópolis: UFSC, 2008. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção). Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, 2008.

KRASILCHIK, M. Prática de Ensino de Biologia. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2011, 4 ed.

KRASILCHIK, M. Prática de Ensino de Biologia. São Paulo: Universidade de São Paulo, 4ª ed. 2011.

LEDUR, J. R. Building the concept of acceleration-a proposal for promoting the meaningful learning. Scientia cum Industria, vol. 2, no. 2, pp. 61–64, 2014.

LEITE, L.; ESTEVES, E. Análise crítica de actividades laboratoriais: Um estudo envolvendo estudantes de graduação. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias. v. 4, nº 1. Braga, Portugal: 2005.

LEPORO N. Micróbios na Educação Infantil: o que as crianças pensam sobre os microrganismos? In: VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 7, 2009, Florianópolis. Anais do VII ENPEC. Florianópolis: FaE UFMG, 2009.

LOPES, L. A.; VALDUGA, M. LOPES, P. T. C. e DAL-FARRA, R. A. O uso de tablets como ferramenta para verificar as concepções sobre insetos construídas por estudantes do 7° ano do ensino fundamental. Anais X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – X ENPEC. Águas de Lindóia, SP – 24 a 27 de nov. de 2015.

MADIGAN, M.T.; MARTINKO, J.M. e PARKER, J. Microbiologia de Brock. 10. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2004. 608p.

MATOS, C. H. C. et al. Utilização de modelos didáticos no ensino de entomologia. Revista de Biologia e Ciências da Terra, Sergipe, v. 9, n. 1, p. 19-23, jan./jun. 2009.

PELCZAR, M. J.; CHAN, E. C. S. e KRIEG, N. R. Microbiologia: conceitos e aplicações. 2.ed. São Paulo: Pearson Makron Books, 1997. 524p.

PELIZZARI, A. et al. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Revista PEC. v.2, n.1, p.37-42, Curitiba: 2002.

PEREIRA, M.G. et al. A instrumentação do ensino de biologia através de materiais botânicos e suas implicações no processo de ensino e aprendizagem. In: Anais do I Congresso Brasileiro de Extensão Universitária – UFPB. João Pessoa: 2002.

PESSOA, T. M. S. C. et al. Percepção dos alunos do ensino fundamental da rede pública de Aracaju sobre a relação da Microbiologia no cotidiano. Scientia Plena. vol. 8, num. 4. 2012

PINHO, J. A. Regras da Transposição Didática aplicada ao Laboratório Didático. Caderno Catarinense de Ensino de Física. v. 17, nº 2, p. 174-188. Florianópolis: 2000.

POSSOBOM, C. C. F.; OKADA, F. K. e DINIZ, R. E. S. Atividades práticas de laboratório no ensino de biologia e de ciências: Relato de uma experiência. In: GARCIA, W. G.; GUEDES, A. M. (Org.). Núcleos de Ensino - Unesp. 1 ed., v. 1, p. 113-123. São Paulo: 2003.

SILVA, D. R. M.; VIEIRA, N. P. e OLIVEIRA, A. M. O ensino de biologia com aulas práticas de microscopia: uma experiência na rede estadual de Sanclerlândia - GO. In: III EDIPE - Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino. p. 1-4, 2009.

WELKER, C. A. D. O estudo de bactérias e protistas no ensino médio: uma abordagem menos convencional. Experiências em Ensino de Ciências. v. 2, nº 2, p. 69-75. Porto Alegre: 2007.

ZOMPERO, A. F. Concepções de alunos do ensino fundamental sobre microrganismos em aspectos que envolvem saúde: implicações para o ensino aprendizagem. Experiências em Ensino de Ciências. v. 4, n. 3, p. 31-42. Porto Alegre: 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.23926/RPD.2526-2149.2018.v3.n2.p557-574.id242

Apontamentos

  • Não há apontamentos.