TECNOLOGIAS ASSISTIVAS, ENSINO DE FRAÇÕES E SURDEZ: OLHARES DE ACADÊMICOS DE UM CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA
PDF
.

Métricas

  • Visualizações 928
  • PDF downloads: 148

Como Citar

SCAPIN, L. L.; KLAUS, V. L. C. de A.; BONDEZAN, A. N.; LÜBECK, M. TECNOLOGIAS ASSISTIVAS, ENSINO DE FRAÇÕES E SURDEZ: OLHARES DE ACADÊMICOS DE UM CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA. Revista Prática Docente, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 391-410, 2019. DOI: 10.23926/RPD.2526-2149.2019.v4.n2.p391-410.id450. Disponível em: http://periodicos.cfs.ifmt.edu.br/periodicos/index.php/rpd/article/view/450. Acesso em: 20 abr. 2021.

Resumo

Neste artigo apresentamos uma experiência investigativa com tecnologias assistivas e surdez, aplicada no Curso de Licenciatura em Matemática de uma Universidade Pública de Foz do Iguaçu/PR. Com base num Estudo de Caso e na Análise de Conteúdo, realizamos uma revisão bibliográfica sobre educação especial, inclusão escolar, formação inicial de professores e tecnologias assistivas, bem como implementamos uma proposta educativa com os acadêmicos da referida instituição, com o objetivo de trazer olhares desses futuros professores com relação ao uso de algumas tecnologias assistivas no ensino de frações, considerando as particularidades da surdez. Os resultados mostram que houve avanços no processo de ensino e aprendizagem deste conteúdo e sobre a temática da inclusão escolar na visão dos acadêmicos, e os apontamentos apresentados por eles nas descrições das aulas e a análise dos seus registros escritos permitem dizer que a proposta, a depender da criatividade e planejamento do professor e da consideração que o mesmo faz do contexto em que os alunos, ouvintes e surdos, se encontram inseridos, pode ser inclusiva. E as reflexões acerca dessa prática de ensino nos levam a concluir que houve uma contribuição significativa para a formação inicial dos acadêmicos do curso de Licenciatura em Matemática.
10.23926/RPD.2526-2149.2019.v4.n2.p391-410.id450
PDF

Referências

ALVES, Denis Rogério Sanches; MARTENS, Adam Santos. Desafios para a Construção do Conhecimento de Frações nas Séries Intermediárias do Ensino Fundamental. 2011. Disponível em: educere.bruc.com.br/CD2011/pdf/6413_3640.pdf. Acessado em: 20 out. 2018.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BAQUERO, Marcello. Democracia Formal, Cultura Política Informal e Capital Social no Brasil. Opinião Pública, Campinas, v. 14, n. 2, p. 380-413, nov. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/op/v14n2/05.pdf. Acessado em: 21 jul. 2018.

BISOL, Cláudia; SPERB, Tania Mara. Discursos sobre a Surdez: Deficiência, Diferença, Singularidade e Construção de Sentido. Psicologia: Teoria e Pesquisa, [S.L], v. 26, n. 1, p. 7-13, jan./mar. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ptp/v26n1/a02v26n1.pdf. Acessado em: 12 jul. 2018.

BRASIL. Lei 9.394 de 20 de dezembro 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/l9394.htm. Acessado em: 16 jun. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica 2001. Secretaria de Educação Especial/MEC. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/diretrizes.pdf. Acesso em: 13 jul. 2018.

BRASIL. Lei Nº 10.436 de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm. Acessado em: 22 ago.2018.

BRASIL. Subsecretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Comitê de Ajudas Técnicas Tecnologia Assistiva. Brasília: CORDE, 2009. Disponível em: https://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/sites/default/files/publicacoes/livro-tecnologia-assistiva.pdf. Acessado em: 20 out. 2018.

BRASIL. Lei 12.319 de 01 de setembro de 2010. Lei que Regulamenta a Profissão do Tradutor Intérprete da Língua de Sinais Brasileira – LIBRAS. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12319.htm. Acessado em: 21 jul. 2018.

BRASIL. Lei 13.146 de 6 de julho de 2015. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acessado em: 21 jul. 2018.

COSTA, Viviane Cristiane. Saberes Docentes e Educação Matemática Inclusiva: investigando o potencial de um curso de extensão voltado para o ensino de Matemática para surdos. 164 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Matemática) – Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/190928/COSTA%20Viviane%20Cristiane%202017%20%28disserta%C3%A7%C3%A3o%29%20UFOP.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acessado em: 06mai. 2019.

DAMÁZIO, Mirlene Ferreira Macedo. Atendimento Educacional Especializado: pessoa com Surdez. Curitiba: Cromos. 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/aee_da.pdf. Acessado em: 13 jul. 2018.

DUCATTI, Claudia Vicente; VILLWOCK, Rosangela. Práticas pedagógicas direcionadas à inclusão do estudante surdo. In: PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Superintendência de Educação. O professor PDE e os desafios da escola pública paranaense, 2014. Curitiba: SEED/PR., 2016. V.2 (Cadernos PDE). Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2014/2014_unioeste_mat_artigo_claudia_vicente.pdf. Acessado em: 06mai. 2019.

GÓES, M. C. R. Relações entre Desenvolvimento Humano, Deficiência e Educação: contribuições da abordagem Histórico-Cultural. In: OLIVEIRA. M.K.; REGO, T.C.; SOUZA, D.T. R. (Org.). Psicologia, Educação e as Temáticas da Vida Contemporânea. São Paulo: Moderna, 2002. p. 95-114.

GRANDO, Regina Célia. O Jogo e a Matemática no Contexto da Sala de Aula. São Paulo: Paulus, 2004.

LÜBECK, Marcos; KLAUS, Vanessa Lucena Camargo de Almeida; MOURA, Elmha Coelho Martins. Novas Perspectivas de Atuação: os desafios para o futuro. In: LÜBECK, Kelly Roberta Mazzutti (Org.). História, Educação e Docência: 20 anos do curso de Licenciatura em Matemática da Unioeste/Foz do Iguaçu. Curitiba: CRV, 2018, p. 77-100.

LUCION, Paula. A Organização do Ensino de Matemática no Contexto de Inclusão. 2015. 183 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/7234/LUCION%2C%20PAULA.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acessado em: 20 out. 2018.

MENDES, Enicéia Gonçalves. Perspectivas para a construção da escola inclusiva no Brasil. In: PALHARES, Marina Silveira; MARINS, Simone Cristina Fanhani. (Orgs.). Escola inclusiva. São Paulo: EDUFSCAR, 2002. p. 61-86.

MORÁS, Nadjanara Ana Basso; KLAUS, Vanessa Lucena Camargo de Almeida. Estrategias y Procedimientos de Alumnos Sordos en la Resolución de Problemas del Campo Conceptual Aditivo. Revista Paradigma, v. XXXIX, n. 1; jun. 2018, p. 301-318. Disponível em: http://revistas.upel.edu.ve/index.php/paradigma/article/view/6791. Acessado em: 18 out. 2018.

MOREIRA, Geraldo Eustáquio. O Ensino de Matemática para Alunos surdos: dentro e fora do texto em contexto. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v. 18, n. 2, p. 741-757, jul. 2016. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/viewFile/23486/pdf. Acessado em: 12 jul. 2018.

NASCIMENTO, Ayrton Matheus da Silva; ARAÚJO, Rafaela Germania Barbosa de; VIANA, Kilma da Silva Lima. Trilha das Operações Matemáticas em Libras: uma proposta didática. 2016. Disponível em: https://editorarealize.com.br/revistas/cintedi/trabalhos/TRABALHO_EV060_MD1_SA7_ID4160_23102016231317.pdf. Acessado em: 21 out. 2018.

PARANÁ. Departamento de Educação Básica. Organização do Trabalho pedagógico especializado na rede pública estadual de ensino. 2014. Disponível em: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/sem_pedagogica/julho_2014/anexo7.pdf.

POTT, Anelise Belão; TANCREDI, Regina Maria S. Puccinelli. Os Jogos no Ensino de Matemática: possibilidades de dinamização das práticas pedagógicas. 2017. Disponível em: www.portaldosprofessores.ufscar.br/biblioteca/18/artigo_para_o_portal.doc. Acesso em: 20 out. 2018.

PREVÊ, Deison Teixeira; SHENECKEMBERG, Cleder Marcos; MUNHOZ, Regina Helena. Lúdico no Ensino de Frações. BOEM, Joinvile, v. 2, n. 2, p. 88-99, jul. 2014.

SALES, Elielson Ribeiro de. A visualização no ensino da Matemática: uma experiência com alunos surdos. 2013. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/188410/SALES,%20Elielson%20Ribeiro%202013%20(tese)%20UNESP.pdf?sequence=1. Acesso em: 06mai. 2019.

SANTOS, Elias Souza dos. Comunidade surda: a questão das suas identidades. In: DÍAZ, F. et al. (Orgs.) Educação inclusiva, deficiência e contexto social: questões contemporâneas [online]. Salvador: EDUFBA, 2009, pp. 14-25. Disponível em: http://books.scielo.org/id/rp6gk/pdf/diaz-9788523209285-02.pdf. Acessado em: 12 jul. 2018.

SANTOS, Maria José Batista De Souza. O Ensino e Aprendizagem das Frações Utilizando Materiais Concretos. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Licenciatura Plena em Matemática) – Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2014. Disponível em: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/bitstream/123456789/4290/1/PDF - Maria José Batista de Souza Santos. http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/bitstream/123456789/4290/1/PDF - Maria José Batista de Souza Santos.pdf. Acessado em: 20 out. 2018.

SCHRAM, Sandra Cristina; CARVALHO, Marco Antonio Batista. O Pensar Educação em Paulo Freire: para uma Pedagogia de mudanças. 2010. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/852-2. Acessado em: 16 jun. 2018.

VIANNA, Carlos Eduardo Souza. Evolução Histórica do Conceito de Educação e os Objetivos Constitucionais da Educação Brasileira. Janus Lorena, [S.L], n. 4, p. 129-138, jun./dez. 2006. Disponível em: http://www.publicacoes.fatea.br/index.php/janus/article/viewFile/41/44. Acessado em: 12 jul. 2018.

VIGNA, Mayre Barros Custódio. Inclusão (Jogos, Brincadeiras e Gincanas). São Paulo: DCL, 2010.

VIGOSTKY, Lev; LURIA, Alexander Romanovich. Estudo sobre a História do Comportamento: símios, o primitivo e a criança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

Creative Commons License

Este trabalho está licensiado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Array

Downloads

Não há dados estatísticos.