REFLEXÕES SOBRE O JOGO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
PDF

Palavras-chave

Play
teaching
learning Jogo
Ensino
Aprendizagem

Como Citar

PEREIRA, M. P. V. DE C.; FARIAS, G. O. . REFLEXÕES SOBRE O JOGO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Revista Prática Docente, v. 5, n. 2, p. 1342-1354, 31 ago. 2020.

Resumo

O docente na educação infantil deve oportunizar ao educando atividades que enriqueçam a criatividade e a autonomia. Em meio a este contexto, o jogo importante fenômeno cultural e social contribui com o desenvolvimento humano. o objetivo deste artigo é apresentar uma reflexão sobre as características do jogo no contexto da educação infantil e sua valorização como importante recurso pedagógico. A metodologia utilizada se caracteriza como um ensaio teórico. Pode-se mencionar que o jogo é uma atividade livre, sendo delimitada por espaço, tempo e regras, além de ser imprevisível e fictício. Podendo ser utilizado como um recurso pedagógico na educação infantil, fase primordial de desenvolvimento do educando. Conclui-se, que o jogo enquanto recurso pedagógico pode ser considerado um meio adequado para contribuir no desenvolvimento integral do educando.
https://doi.org/10.23926/RPD.2526-2149.2020.v5.n2.p1342-1354.id741
PDF

Referências

BRASIL. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Básica. – Brasília: MEC, SEB, 2010.

BRASIL. Indicadores da Qualidade na Educação Infantil. Ministério da Educação/Secretaria da Educação Básica – Brasília: MEC/SEB, 2009.

BRASIL. Parâmetros nacionais de qualidade para a educação infantil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica – Brasília. DF, 2006.

BRASIL. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Secretaria de Educação Fundamental: Educação Física. Brasília: MEC /SEF, 1998.

BROUGÈRE, Gilles. Jogo e Educação. Porto Alegre: Artmed, 1998.

CAILLOIS, Roger. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Lisboa: Cotovia, 1990.

CERVO, Amado; BERVIAN, Pedro; SILVA, Roberto. Metodologia Científica. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2014.

CHÂTEAU, Jean. O jogo e a criança. São Paulo: Summus, 1987.

FREIRE, João Batista. O Jogo entre o riso e o choro. São Paulo: Autores Associados, 2002.

FREIRE, João Batista; SCAGLIA, Alcides José. Educação como prática corporal. São Paulo: Scipione, 2003.

HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da língua portuguesa – Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens. 4 ed. São Paulo: Perspectiva, 2000.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Jogos infantis: o jogo, a criança e a educação. Petrópolis: Vozes, 2014.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. O brincar e suas teorias. Cengage Learning. São Paulo, 2011.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. O jogo e a educação infantil. São Paulo: Cengage Learning, 1994.

LEONARDO, Lucas; SCAGLIA, Alcides José; REVERDITO, Riller. O Ensino dos Esportes Coletivos: Metodologia pautada na Família dos Jogos. Motriz, Rio Claro, v. 15, n. 2, p. 236-246, 2009.

MENEGHETTI, Francis Kanashiro. O que é um ensaio teórico. Revista de administração contemporânea, São Paulo, v.15, n. 2, p. 320-332, 2011.

PEREIRA, Marcos Paulo Vaz de Campos; CIRINO, Cirino; MILAN, Fabrício João; RESENDE, Rui; FARIAS, Gelcemar Oliveira. Reflexões Sistêmicas do Jogo: Contribuições para a Educação Física, Journal of Sport Pedagogy and Research, Maia, v. 4, n. 3, p.60-64, 2018.

PEREIRA, Marcos Paulo Vaz de Campos; FARIA, José Ronivan; OLIVEIRA, Adriano Olimeira; MILAN, Fabrício João; CUNHA, Virginia; FARIAS, Gelcemar Oliveira. Educação física infantil e o jogo de faz de conta como estratégia pedagógica. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Rondon, v. 17, n. 2, p. 1-8, 2019.

PEREIRA, Marcos Paulo Vaz de Campos; FARIAS, Gelcemar Oliveira; CIRINO, Carol; SCAGLIA, Alcides José. O jogo como estratégia pedagógica para o ensino da Educação Física escolar no 5º ano do ensino fundamental I. Corpoconsciência, São Paulo, v. 20, p. 1-8, 2016.

PEREIRA, Marcos Paulo Vaz de Campos; FARIAS, Gelcemar Oliveira. Professores de educação física e o jogo: reflexões no contexto escolar Corpoconsciência, São Paulo, v. 24, n. 2, p. 82-90, 2020.

PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança: imitação, jogo e sonho / imagem e representação. Rio de Janeiro: LTC, 1990.

SCAGLIA, Alcides José. Referencial Curricular da Educação básica das Escolas Públicas Municipais de Franca, Franca SP, 2007.

SCAGLIA, Alcides José. O futebol e os jogos/brincadeiras de bola com os pés: todos semelhantes, todos diferentes. 2003. 164f. Campinas: Tese (Doutorado em Educação Física). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

SILVA, Diogo; LORENCINI JUNIOR, Álvaro. O docente e sua constante reconstrução de saberes: o jogo como ferramenta de ressignificação de sua prática. Revista Prática Docente, Confresa, v. 5, n. 1, p. 289-305, 2020.

SUITS, Bernard. What is a game? Philosophy of Science, Chicago, v. 34, n. 2, p. 148-156, 1967.

VENÂNCIO, Silvana; FREIRE, João Batista. O jogo dentro e fora da escola. Campinas: Autores Associados, 2005.

VYGOTSKY, Lev Semyonovich. Aprendizagem e Desenvolvimento Intelectual na Idade Escolar: Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1988.

VYGOTSKY, Lev Semyonovich; COLE, Michel. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações Filosóficas. Nova cultural, 1996.

ZIMMERMANN, Ana Cristina; SAURA, Soraia Chung. Jogos tradicionais. São Paulo: Pirata, 2014.

Creative Commons License

Este trabalho está licensiado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 A Revista Prática Docente tem o direito de primeira publicação

Downloads

Não há dados estatísticos.