ESCRITA DE MEMÓRIAS: UM EXERCÍCIO DE REFLEXÃO SOBRE A VIDA

Camila Santos Andrade, João Gonçalves Torres-Filho, Flávia Karolina Lima-Duarte

Resumo


Resumo: Escrever memórias é uma das formas de manter algumas lembranças vivas em nossas vidas. Em ambientes de encarceramento essa busca pelas memórias é constante, pois esse exercício possibilita a fuga da realidade. Nessa perspectiva, esta pesquisa tem por objetivo ampliar o interesse pela escrita de gêneros autobiográficos em uma Unidade de Internação Feminina e, consequentemente, pela leitura literária. O referencial teórico está representado por estudiosos do gênero autobiográfico-memórias (EIBER et al., 1999; RADVANSKY et al., 2005). A metodologia incluiu reflexão acerca do texto imagético presente na obra trabalhada, Becos da Memória, de Conceição Evaristo. Os dados para análise são constituídos por memórias produzidas pelas adolescentes internas. A pesquisa apresentou como resultado o estímulo às práticas de leitura e escrita e reflexão acerca de suas vidas.

Palavras-chave: Ensino de Língua Portuguesa. Escrita de memórias. Unidade de Internação Feminina.

 

Abstract: Writing memories is a way of keeping some of our remembrances alive. In incarceration environments, this search for memories is constant, thus this exercise allows escaping from reality. In this perspective, this research aims to enhance the interest for writing (auto)biographical genres in one Female Hospitalization Unit e, therefore, for literary literature. The theoretical framework is represented by researchers of the autobiographical-memories genre (EIBER et al., 1999; RADVANSKY et al., 2005). The methodology includes a reflection about the imagetic text present in the book, Becos da Memória, by Conceição Evaristo. The data for analysis is constituted by produced memories from the hospitalized teenagers. The research showed as a result the push to the reading and writing practice and reflection about their lifes.

Keywords: Teaching of the Portuguese Language. Memorialist writing. Female Hospitalization Unit.


Palavras-chave


Ensino de Língua Portuguesa; Escrita de memórias; Unidade de Internação Feminina.

Texto completo:

PDF

Referências


BLAGOV, P. S.; SINGER, J. A. (2004). Four dimensions of selfdefining memories (specificity, meaning, content, and affect) and their relationships to self-restraint, distress, and repressive defensiveness. Journal of personality, 72, 481-512.

CERVANTES, M. Dom Quixote, 1605. Disponível em: . Acessado em: 18 jun. 2018.

EIBER, R.; PUEL, M. SCHMITT, L. Heroin abuse, autobiographical memory and depression. Encephale. 1999; 25 (6): 549-57. French.

LIMA-DUARTE, Flávia Karolina; TORRES-FILHO, João Gonçalves; GAIA, Rossana Viana. Eu e meus eus: leitura e escrita de diário em uma Unidade de Internação Feminina. Letras raras. 2017. ISSN 2317-2347. Disponível em: . Acessado em: 28 de jul. 2018.

RADVANSKY, G.; COPELAND, D.; ZWAAN, R. A novel study: investigating the structure of narrative and autobiographical memories. Memory. 2005;13(8):796-814.

SINGER, J. A.; SALOVEY, P. (1993). The remembered self: Emotion and memory in personality. New York: Free Press.

WESTBURY, C. & DENNETT, D. C. (2000). Mining the past to construct the future: Memory and belief as forms of knowledge. Em D. L. Schacter & E. Scarry (Eds.), Memory, brain, and belief (p.11-32). Cambridge, MA: Harvard University Press.




DOI: http://dx.doi.org/10.23926/RPD.2526-2149.2018.v3.n2.p445-452.id247

Apontamentos

  • Não há apontamentos.